terça-feira, 11 de julho de 2017

Queijos veganos - Cream Cheese fermentado e Muçarela de mandioca

A qualidade dos meus queijos vegetais tem melhorado bastante e tenho feito cursos presenciais e online para conseguir cada vez mais produzir alimentos gostosos e saudáveis. 

Criei essas duas receitas que compartilho aqui, a partir de adaptações que fiz em outras receitas, vale a pena tentar e ver se gosta.

O primeiro é um cream cheese fermentado, probiótico e muito saboroso, à base de castanhas.
O segundo é um queijo de mandioca, do tipo da muçarela, ou seja: um queijo que derrete ao ser aquecido e é ótimo para recheios e coberturas.

Cream Cheese fermentado de castanha de caju


1 xíc. de castanha de caju hidratada por no mínimo 4h
1 xíc. de castanha-do-Pará hidratada por no mínimo 4h
2 col. de sopa de kombucha

Para temperar: sal, limão, azeite a gosto

Descartar as águas de demolho e processar as castanhas hidratadas com o kombucha até obter um creme liso e homogêneo. Deixar escorrer e fermentar em tecido tipo voil (redinha, pano de fralda, etc.), durante 24h. Se quiser um sabor mais ácido e pronunciado, deixar por 48 a 72 horas.

Após esse período, pode ser consumido assim (em forma de cream cheese) ou pode ser enformado e curado por 3 dias na geladeira.



Muçarela de mandioca

2 xíc. de mandioca cozida e amassada
2 xíc. da água do cozimento1 xíc. de polvilho doce
1 xíc. de polvilho azedo
Suco de 1 limão
1/2 col. de sopa de sal
1/2 xíc. de óleo de girassol ou de azeite de oliva
Uma pitada de cúrcuma em pó (para ficar mais amarelinha, se quiser)

Bater todos os ingredientes aos poucos no liquidificador. Levar ao fogo por 10 a 20 minutos, mexendo bem. Colocar em forma untada e levar à geladeira por 6 horas no mínimo e desenformar.
Esse queijo derrete quando aquecido e dura cerca de 5 dias na geladeira.



Tapioca recheada com muçarela de mandioca.






Falso iogurte de morango - Receita Vegana



Eu evito bastante consumir leite e laticínios, que me deixam sempre cheia de muco e de indisposições. Mas eu sinto a maior vontade de um iogurte de vez em quando e, nem sempre, estou na disposição de fermentar leites vegetais. Achei uma receita de falso-iogurte (falso por não ser fermentado) no canal do Youtube Presunto Vegetariano e adaptei. Como sou subversiva, fiz do jeito que eu quis e ficou demais!



2 xíc de leite de amendoim com linhaça
100 g de morangos orgânicos
1 col sopa bem cheia de polvilho doce
1 pitada de sal
2 col sopa de suco de limão
1/2 xíc de uvas passas brancas previamente hidratadas

Bater tudo no liquidificador por dois minutos, transferir para uma panela e levar ao fogo mexendo até ferver. Baixar o fogo e deixar cozinhar por 2 min, mexendo sempre. 

Deixar esfriar e levar ao refrigerador até gelar.

Por que eu chamo de falso iogurte: iogurte é leite fermentado. Esse, como vocês podem ver, não é fermentado, nem probiótico. 

O sabor é bem parecido com o de iogurtes de morango com os quais estamos acostumados, mas esse é vegano, natureba, nutritivo e não gera muco, como os feitos à base de leite de vaca.




A receita original, na voz da doce Paula Lumi, pode ser encontrada aqui.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Sopa de abóbora da Susana Ayres - receita vermífuga

4 xícaras de abóbora kabotiá (japonesa) com casca
1 colher (sopa) de tomilho
4 dentes de alho
6 cravos-da-índia
1 colher (sopa) de casca de limão ralada
sal e azeite a gosto
água que sobrar do cozimento (pouca)

Cozinhar tudo e bater no liquidificador. Tomar uma xícara no jantar, no início da refeição.

Vermifugando

Uma boa desintoxicação deve ser iniciada com uma boa vermifugação. Todo mundo tem verme, gente. Não é só cachorro e criança, não.

Eu tenho um histórico de infestação por amebas e giárdias, desde a infância. Vira e mexe os sintomas voltam e eu recomeço o tratamento. O que sei é que quando estou comendo bem, cuidando da cabeça e fazendo atividades que me dão prazer, fico longos períodos sem sintomas. Porque isso tudo eleva a imunidade nas alturas e os bichos correm.

Existem várias formas de vermifugação, natural ou nem tanto. Leio muito por aí que a fitoterapia funciona melhor que a alopatia contra vermes. Dá pra vermifugar tomando remédio de farmácia, tomando fórmulas manipuladas, e comendo o que expulsa, mata, enfraquece os bichos.

Dentre as possibilidades que conheço, resolvi seguir o protocolo da Susana Ayres (fitoterapia + água de argila) e alimentação vermífuga. À medida em que for fazendo as receitas vou colocando aqui.

Para entender mais sobre vermes, vale muito consultar o Blog da Sonia Hirsch: http://www.soniahirsch.com/search?q=vermes e o livro, da mesma autora, chamado Almanaque dos bichos que dão em gente.
 
 


Projeto desintoxicação 2017

Esse ano de 2016 não foi fácil, definitivamente. O ano que já já começa promete não ser dos mais fáceis também. Cenário político assustador, ano de inicializações (2+0+1+7 = 1), ano de Oxossi e Oxum, fechamento de períodos astrais importantes. 
Refleti muito e considerei que uma desintoxicação é necessária. 
A maior detox que fiz na vida durou mais de um ano e me restaurou a imunidade, a lucidez e o amor-próprio como nenhuma outra experiência de vida. Faz uns 5 anos que fiz. Eu segui um protocolo rígido da Sonia Hirsch na época, para cura da candidíase. 
O tempo passou, conheci novas técnicas, estudei mais, amadureci. 
Resolvi, então, iniciar uma nova experiência, um pouco diferente da anterior, porém com as mesmas bases: o corpo é sábio, naturalmente são, a vida é harmônica. Limpar corpo, mente, emoções nos ajuda a encontrar essa verdade. 
Isso pode ser construído a partir de uma alimentação melhor, controle de parasitas, eliminação de produtos deletérios, incorporação de práticas que promovam a saúde.

Vou compartilhar meu tratamento de desintoxicação, comentando os efeitos, tanto do que já conheço, quanto do que for descobrindo. Vou contar também sobre as dificuldades e as derrapadas que, sei bem, são inevitáveis e vão acontecer. A vida é esse meio lá meio cá, em busca do dourado caminho do meio. :)

Esse processo inclui:
- cortar alimentos ultraprocessados
- aumentar a ingestão de legumes e frutas
- diminuir o consumo de carnes
- beber mais água
- fazer limpezas ocasionais, de fígado, rins, estômago, intestinos
- diminuir bebidas alcoólicas e tabaco
- fazer uma atividade aeróbica, uma de fortalecimento muscular e uma de alongamento

Pretendo iniciar esse processo me restaurando no mar. Uns 10 ou 15 dias na praia, caminhando, tomando sol (se a chuva deixar, rs), tomando muito banho de água salgada e doce, lavando o corpo e a alma por dentro e por fora.
 Melhor forma de começar um novo ciclo é ouvindo o que nosso eu está nos dizendo e desejando.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Leite de alpiste germinado - Receita vegana

O alpiste germinado

Um leite vegetal cor de rosa, que coisa mais linda.
Lave bem 100g de alpiste e coloque para germinar. Achei que demora mais que muitas outras sementes que costumo germinar, mas não sei se é por causa do tempo frio que tem feito.
Eu germino sementes assim: lavo bem, coloco de molho coberto com água por 12 horas. Escorro a água, lavo as sementes, coloco em um pote de vidro (pode ser vidro de palmito, azeitona, essas coisas) coberto com voil preso com elástico. Viro o vidro e deixo encostado com uma angulação de uns 45º no escorredor de pratos mesmo. Vai ficar germinando lá, dentro da estufinha que o vidro faz. Tem que lavar umas duas vezes por dia, de manhã e à noite.
Após uma semana os brotos estarão parecidos com esses da foto.
Aí peguei metade dos brotos, mais duas colheres de arroz integral cozido e bati por cinco minutos no liquidificador com um litro de água. Coei no voil. Fica com uma cor linda!
Depois tempere a gosto, especiarias, cacau, banana madura, melado, o que preferir.
Vida em forma de leitinho. :)

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Flan de castanhas de pequi - receitas da sociobiodiversidade

Eu consegui comprar um pacote de castanhas de pequi secas no Instituto Chão, um lugar com uma proposta super interessante de apoio à sociobiodiversidade, à agricultura orgânica, à agricultura familiar, com repasse de produtos pelo preço do produtor.

Resolvi fazer uns flans, umas coisinhas moles parecidas com pudim, que ficaram bem gostosos.
Esses eu fiz com leite de vaca, que não curto, mas eu tinha meio litro em casa, remanescente de um teste que comecei a fazer com kefir (conto depois). Então resolvi usar esse leite mesmo, acredito que ficaria muito boa essa receita com leite de amêndoas, de coco, de arroz...

A receita é simples:

Bata no liquidificador duas xícaras de leite, meia xic de castanhas de pequi hidratadas e duas colheres de melado de alfarroba. 
Dilua 2 gramas de agar agar e leve ao fogo por 2 min mexendo sempre. 
Coloque em forminhas e leve à geladeira por pelo menos duas horas e desenforme.

Pode ser um lanchinho ou sobremesa. 
Tem gosto forte de castanha de pequi, uma iguaria da minha infância.


Panquecas de levain

O levain é um fermento natural feito à base de farinha de trigo e água. 

É minha pira há algum tempo e tenho postado bastante lá na página do Facebook: 


Além de produzir pães de fermentação natural, deliciosos, duráveis, veganos e saudáveis, o levain se presta a uma série de outras receitas, ando testando muito.

Eu adorei descobrir as panquecas de levain. Misturo bem duas colheres de levain com um ovo caipira, uma colher de azeite e uma pitada de sal e coloco na frigideira. Elas ficam aeradas e saborosas. 

Nessa, coloquei uma pitada de caril ou curry:

Pode ser feita de forma bem simples: levain, ovo e só.

Comecei a pensar em outras possibilidades para fazer panquecas com levain e li que o grão de bico tem bastante triptofano, um precursor da serotonina, neurotransmissor essencial para o nosso bem-estar. Como ando numa fase meio triste, aparentemente precisando de serotonina (rs), resolvi testar um novo sabor com farinha de grão de bico: 

Misturei 2 colheres de farinha de grão de bico com uma de levain, 3 colheres de água, 1 de azeite, um ovo caipira, uma pitada de sal e uma de curry.

Tem que deixar cozinhar um pouco na frigideira tampada, deixei quase 10 min. 
Depois mais uns 3 min do outro lado. 
Pode rechear ou não. 
Ficou bem gostosa, leve e matou a fome durante umas boas horas.

Essa com farinha de grão de bico, levain e ovos.

Para receitas veganas, substitua os ovos por linhaça ou chia hidratada que fica bom também. 

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Carne de Jaca (Vegana, Gluten Free)

Estou devendo essa receita há um tempinho, fiz na semana passada alguns antepastos de jaca verde.
Conheço a jaca verde há alguns anos, desde que um amigo Hare Krishna me apresentou à coxinha de jaca. Depois disso criei vários pratos em que a jaca verde pode ser utilizada, todo mundo adora!

A princípio, costumo "transformar" a jaca verde em três sensacionais possibilidades: frango desfiado, palmito e fundos de alcachofra. 
Vejamos como:

Primeira coisa a fazer: ache uma jaca verde. Eu tenho encontrado pelas ruas mesmo, ou nas roças que visito a trabalho. Prefiro, às vezes, umas jaquinhas menores, pois rendem muito. Uma jaca um pouco maior que uma abóbora moranga rende duas panelas de comida.

Depois de retirar a jaca do pé e deixar escorrer um pouco o látex (uma cola branca espessa que pinga do talo cortado), pique a jaca em pedaços grandes, que caibam na sua panela. 
Cubra com água. Se for cozinhar na panela de pressão, deixe por cerca de 8 minutos. Se cozinhar em panela aberta, espete com um garfo após cerca de 30 minutos e veja se está macia.

Feito isso, a jaca está pronta para ser desfiada. Eu separo as partes da jaca porque acho as texturas diferentes e isso ajuda a aproveitar melhor em cada prato. As jacas muito pequenas são mais difíceis de fazer a separação, mas jacas do tamanho de uma melancia rendem texturas variadas.

Então, para separar as texturas e temperar:

1) Existe uma parte carnuda entre as fibras que seguram os caroços e a casca grossa da jaca. Essa é minha parte preferida, que acho mais saborosa. Corte rente ao "pé das fibras" primeiro e depois corte bem junto à casca grossa, com uma faca afiada. Pique em pedaços para imitar fundos de alcachofra. Essa parte eu tempero com orégano ou tomilho, azeite de oliva, sal e limão. Um dentinho de alho picado miúdo costuma combinar. Salsinha picadinha também.

2) As fibras que seguram os caroços: essas são incrivelmente parecidas com frango desfiado. Já vêm desfiadas, basta separar agora os caroços que vêm revestidos de uma polpa carnudinha (aqueles gomos que a gente come quando a jaca está madura). Eu costumo refogar as fibras como se fosse fazer um recheio de frango para torta. Refogo alho e cebola no azeite, colorau, açafrão, pimenta, azeitonas ou alcaparras, páprica, umas folhas de louro, ervas à escolha, tomate, pimentão, molho de tomate. Tudo isso ou alguns desses, à gosto. 

Esse se presta a recheios para salgados, tortas, cobertura de pizzas ou pra comer com arroz, com pão, com biscoitos.

3) As polpas dos caroços: descaroce os gomos e pique em pedaços. Fica parecido com palmito quando temperados. Esse eu tempero com alho, cebola, azeite e sal. Um tomate picado, um pimentão. Uma pimenta dedo de moça. Tudo a gosto. Eu gosto de misturar e servir tudo cru mesmo. Fica ótimo como antepasto também, servido com pão ou como cobertura de bruschettas.


A jaca absorve os temperos que você coloca, o que a torna um ingrediente versátil para criar muita coisa. Você pode inventar à vontade. 

DICA DE OURO: o látex da jaca cola em tudo, é um terror. Não sai com água. Não sai com água fervente. Não são com sabão. Maaaassss: é lipossolúvel, ou seja, se dissolve em óleos. Para retirar a goma das panelas, facas e mãos, o jeito é esfregar um papel toalha embebido em óleo de cozinha até dissolver tudo. Depois lavar com sabão ou detergente mesmo. 

Vale a pena, é saudável, zero gordura trans, zero colesterol, sem lactose, sem glúten, rico em vitaminas, minerais e fibras. E é um alimento vegetal proteico. 




domingo, 22 de novembro de 2015

Pudim de chia com leite de coco





Faça leite de coco caseiro (tem receita aqui na página).
Misture uma favinha de baunilha (ou coloque umas gotas de essência).
Para um copo de leite de coco, umas 5 colheres de sopa de chia.
Leve pra gelar.
Faça geleia de frutas (ameixas, uvas, damascos, secos ou frescos, água e uma pitada de sal, deixando cozinhar por uns 30 minutos).
Cubra o pudim com a geleia já fria.
Detox delícia pra uma semana frenética. 

Na foto, coberto com geleia de Cambuí e morango fresco.
Emoticon heart

Receitas vegetarianas!

Ideias incríveis de comida vegetariana. Dá vontade de fazer todas!
Link original: http://www.onegreenplanet.org/vegan-food/25-plant-based-foods-you-have-to-try-before-you-die/ 
Earlier this month, The Huffington Post published the article “25 Foods You Have To Eat Before You Die.” Now, a nice green smoothie can get my endorphins going pretty well, but that doesn’t mean that HuffPo’s mouth-watering pictures of meat and dairy dishes don’t look appetizing, even to this plant-powered eater. Lobster rolls and pimento cheese and tamales, oh my! The article’s food porn makes a pretty good case for its title.
But, what if that article was re-written, only including plant-based dishes? Here at OGP, we decided to remake the article from a more health and Earth-friendly perspective: presenting 25 Plant-Based Foods You Have to Try Before You Die. You never know from our list  — you might find a new, healthy favorite dish!

1. Eggplant Burgers

Veggie burgers don’t have to be skimpy; in fact, they can even be ooey-gooey and greasy! This vegan, gluten-free, messy, big burger might make you forget the fact that you’re chowing down on eggplant.
eggplant

2. Smoked Seitan

Get that Texas-style, charred brisket without the meat by smoking seitan. Smoking wheat gluten may not sound appetizing, but this dish will have vegans and meat-eaters alike clamoring to get a bite when they smell it.
Smoked-Seitan

3. Cashew Cream

This stuff is a cook’s secret weapon, as it gives a creamy, dairy-like texture to vegan dishes. Plus, it’s so simple to make. All you need is cashews, water, and a blender.

4. Almond Milk

I can’t imagine going back to dairy milk now that almond milk has had a place in my fridge for the last five years. The taste blows dairy milk out of the water - no pus or cruelty included! Store-bought almond milk is fortified with calcium, Vitamin D, and B12. Also, this delicious nut milk is easy to make yourself.
almond-milk

5. Falafel

If you like fried things, definitely try falafel. These deep-fried chickpea balls have a tough, meaty texture. They’re delicious stuffed in a pita with veggies and hummus, or baked and served overtop a salad with creamy tahini dressing. Try these falafel tacos (pictured below) orthis yummy baked falafel salad.
Falafel Tacos

6. Chickpea Fries

A delicious, almost sinful way to enjoy chickpeas is to pan-fry a chickpea flour mixture intofries. You’ll get an extra boost of protein with these as well.
chickpea-fries

7. Raw Zucchini Wraps

Take Hors d’oeuvres to a colorful, fun, and healthy level by trying a combination of raw fruits and veggies, such as these raw zucchini wraps. Eating raw foods helps us achieve optimum health. For your next party, wow everyone with raw, natural flavors!
Raw-Zucchini-Wraps

8. Green Smoothie

You need about 2 cups of greens to make a serving size, and smoothies are one of the best ways to hide their sometimes bitter flavor. Stuff them in a blender with a bunch of fruit and some nut milk, then voila, you’re drinking your way to better health. Try this beginner green smoothie (pictured below).
Green Tea Green Smoothie

9. Tempeh Picatta + Tempeh BBQ Ribs

Tempeh is a fermented soy bean product that can be purchased in any health store and most other grocery stores. Since the soybeans in tempeh have already undergone a fermentation process, the end product is easy for your body to break down and digest. Plus, it aids in stabilizing blood sugar and lowering cholesterol. The packaged versions can be made with other grains like barley and are easy to cook since they come in patty form. Check out thisdelicious tempeh picatta, read this article on 6 amazing ways to eat tempeh, and try out these BBQ tempeh ribs (pictured below).
tempeh ribs (6)

10. Seitan pot roast

This is one of those dishes that will have you saying “Whoa…I can’t believe this is vegan!” Chock-full of tender seitan, great-for-you spices, and an array of flavorful warming vegetables, this stuff is sure to win over even the most meat-loving of all meat-lovers!
Seitan-Pot-Roast-1071x800

11. Zucchini Pasta

Are you looking to cut out gluten from your diet? Try replacing regular pasta with zucchini ribbons. They taste great with tomato sauce and your waistline will thank you. Use a spiralizer or julienne tool to make ribbons out of a zucchini. Try out this amazing recipe for spicy kale pesto with zucchini noodles (pictured below).
Recipe: Spicy Kale Pesto with Zucchini Noodles

12. Lotus Chips

Kale chips have become pretty mainstream. If you’re sick of them, try lotus chips. They’re easy to make, and their cool appearance will get you lots of oohs and ahhs if you bring them to a dinner party.  
lotus_chips

 13. Quinoa Burgers

Quinoa burger – Quinoa acts as a complete protein, and it works well as a binder in burgers. For extra protein, try quinoa burgers mixed with white beans or mixing with mushrooms in this recipe.
Quinoa-White-Bean-Burger

14. Eggplant Fries

These are a new twist on the classic fries and are much healthier for you than fried white potatoes. Try making a classic recipe (pictured below) or go a little wild and try eggplantgrapefruit fries.
Eggplant Fries

15. Grilled Portobello Mushroom

Vegetarians, never fear another cookout. Instead of bringing frozen veggie burgers to the party, try grilling a fresh Portobello cap. Check out this amazing recipe (pictured below).
Portobello-Vegan-Burger

16. Vegan Cheese

Hey dairy lovers: I know, I know. Vegan cheese seems like an oxymoron, huh? I’m not going to lie; you will know the difference between cheese and vegan cheese when you first try it. But if you focus on trying it as a new food, and not think of it as fake cheese, the taste will grow on you. It’s not too hard to make, either.
Learn How to Make Dairy Free Cheese at Home

17. Muhammara Dip

This creamy red dip has a lovely, smoky flavor. It’s made with roasted red peppers, toasted walnuts, lemon juice, and garlic. It’s your dipping vegetables’ new best friend. Try this amazing recipe (pictured below).
muhammara spread

18. Raw, Cold Soup

A great way to get the maximum nutrients and vitamins from plant foods is to make a raw soup and serve it cold. Try this raw carrot-avocado soup and other yummy soups you can make using your blender.

19. Tofu Scramble with Nutritional Yeast

Tofu scramble with nutritional yeast – You’ll be surprised how much of a difference nutritional yeast can make in vegan dishes. The tofu and yeast in this dish will remind you of fluffy eggs and is prefect for breakfast.
tofu-scramble-2

20. Raw Cheesecake

Raw cheesecake – By using cashews to get a creamy consistency, raw cheesecake is just as creamy and delicious and the dairy version. Try a raw double chocolate cherry cheesecake or a raw vegan lemon and fig cheesecake to start – you’ll fall in love in no time!
Raw-Vegan-Lemon-and-Fig-Cheesecake

21. Pumpkin Hummus

Try a sweeter version of the chickpea dip by adding pumpkin into the mix. You’ll have an end result packed with pumpkin flavor and color.

22. Creative Veggie Sushi

Forget boring maki rolls with white rice, cucumber, and avocado. These days, chefs are experimenting with vegan sushi. Chef Guy Vaknin from the show Hell’s Kitchen is one of them. His cool restaurant in NYC, Beyond Sushi, offers all sorts of veggies mixed with forbidden black rice or a six-grain rice blend, taking vegetable sushi to a whole new level. Better yet,learn how to make great sushi at home.
How to Make Vegan Sushi

23. Jicama

Jicama is a large, bulbous root vegetable with a crunchy flesh. The crunch is similar to a potato, which makes it a fantastic replacement for fries. Try baking your own jicama fries.

24. Banana Soft Serve

If you love banana frozen yogurt or soft serve, you should try the vegan version. By using coconut cream and a few other simple ingredients, you’ll never know it’s dairy free.
Banana-Soft-Serve-Raw-Vegan

25. Chocolate Avocado Fudge

The mix of dark chocolate and avocado actually makes this fudge a healthy indulgence. With each bite you’ll taste sweetness and give your body antioxidant and anti-inflammatory power. It’s also a sneaky way to get more veggies in — so awesome, we know!
Chocolate-Avocado-Fudge-943x800
Wow, who knew plant-based foods could be so creative and amazing, right? By vowing to try these plant-based foods, you’ll be doing your body a healthy service. Be sure to add our list to the foods you must try before you die to be on your way to a healthy and cruelty-free lifestyle.